Que o Chile é um destino turístico reconhecido pela sua diversidade natural  e cultural, os brasileiros já sabem. Cercado por paisagens como a Cordilheira dos Andes, o Deserto do Atacama, a Patagônia e o Oceano Pacífico, o país foi eleito o melhor destino turístico de aventura em 2019 pela World Travel Awards. Mas o interior deste extenso território revela também outras atrações que cativam cada vez mais viajantes. Por isso, vamos contar um pouco sobre uma tradição que remonta sua história: a produção do vinho chileno.

Como começa a história do vinho no Chile

Conta-se que as primeiras parreiras teriam sido trazidas para a América pelos colonizadores espanhóis ainda no século XVI. Uma outra versão também apresenta a hipótese de que o cultivo já havia começado com sementes de uvas-passa. Em todo caso, as primeiras plantações no Chile são atribuídas à disposição dos evangelizadores. Por sorte, encontrou-se clima adequado e solo fértil e assim o cultivo se expandiu a partir da cidade de Concepción, com uma variedade de uva conhecida como país.

Desde então, surgiram os primeiros vinhedos protegidos por barreiras geográficas naturais e que também representavam uma forma de utilização das terras. Com a independência e a modernização do país, a produção vitivinicultora foi impulsionada. Muitas das vinícolas que são visitadas atualmente como Matetic, Casas del Bosque, Vik, Viu Manent, Montes, Santa Ema, Tarapacá e Santa Rita são parte desta pioneira história.

As uvas mais cultivadas no Chile

Curiosamente, a decisão de importar cepas alemãs e francesas, antes da devastação de vinhedos europeus pela praga da filoxera no século XIX, se converteu em uma marca genética da qualidade das uvas chilenas. Originalmente, os vinhos tintos são compostos por variedades como cabernet sauvignon, merlot, carmenere, cabernet franc, malbec, syrah, pinot noir, dentre outras. Já os brancos, as uvas que se destacam são sauvignon blanc e chardonnay.

Vinã Matetic

Os vales vinícolas chilenos

Toda essa diversidade está espalhada por seis grandes regiões que, por sua vez, se subdividem em quase vinte vales vitivinicultores e mais de duzentas vinícolas por todo o país. E cada uma, com seus vinhedos e processos de produção, conta uma história especial. É por isso que o Chile exporta seus vinhos para vários mercados no mundo e também atrai muitos turistas para conhecer suas vinícolas.

Para sentir de perto a força dessa tradição, a Amma Chile oferece experiências exclusivas por rotas e vinícolas próximas a Santiago, saindo da Casa Amma.

Valle de Colchagua

Localizado na região central em um cenário privilegiado de montanhas, o Valle de Colchagua é pioneiro na produção agrícola e vitivinícola graças ao seu clima mediterrâneo. Sua especialidade é o cultivo de vinhos tintos.

Em nosso programa de dois dias e uma noite, começamos o primeiro dia com tour e degustação na tradicional Viu Manent, uma vinícola familiar fundada em 1935 e que firma sua produção na cepa malbec.

Em seguida, partimos para a moderna vinícola Vik para tour e hospedagem. Fundada em 2004, a vinícola surpreende por seu conceito inovador de arquitetura e sua filosofia holística de produção de vinho, mesclando as experiências de visita à bodega e hospedagem.

Nossa programação começa com um almoço, continua com tour e degustação na parte da tarde e um coquetel no lodge.

O segundo dia se inicia com o café da manhã e continua com uma cavalgada pelo vinhedo. Após deixarmos a VIK, almoçamos no restaurante Fuegos de Apalta, do famoso chef argentino Francis Mallman. E, para finalizar, é possível optar por conhecer as vinícolas Montes, Clos Apalta ou Lapostolle.

Viña Vik

Valle de Casablanca

É no caminho para Valparaíso e Viña del Mar que percorremos o Valle de Casablanca, localizado nos arredores da cordilheira da costa, o que caracteriza sua produção de vinhos brancos e novas experiências com uvas de vinho tinto.

Nesta passagem, conhecemos uma das vinícolas mais visitadas do Chile, a Casas del Bosque. De origem italiana, sua produção vem se aperfeiçoando e cativando apreciadores de vinho ao redor do mundo.

Nesta visita, conhecemos o processo de produção de vinho, percorremos os vinhedos, a adega e finalizamos com uma degustação das linhas Pequenas Produções e Gran Reserva com vinhos elaborados com uvas do tipo sauvignon blanc, pinot noir, syrah, chardonnay, cabernet sauvignon, carmenere e rosé.

Em seguida, partimos para Valparaíso e Viña del Mar.

Vinicolas Casa del Bosque
Vinicolas Casa del Bosque

Valle de San Antonio

É neste vale que realizamos um passeio pela Vinícola Matetic e Isla Negra, em uma região próxima ao litoral.

Os vinhedos da Matetic começaram a ser plantados pela quarta geração da família fundadora que, devido à influência da localização, percebeu o potencial para produzir vinhos predominantemente elaborados com a uva syrah.

Além de poder passear de bicicleta ou a cavalo, o passeio inclui um tour e degustação de vinhos da linha Corralillo e segue com um almoço gourmet campestre na propriedade.

Em seguida, visitamos a casa-museu do ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1971, o chileno Pablo Neruda, em Isla Negra. Inspirada no amor do poeta pelo mar e repleta de objetos por ele colecionados, a casa possui uma arquitetura peculiar e compõe o cenário que Neruda buscava para escrever a poesia que o consagrou.

E é através dessa expressão poética que o escritor reafirma também a paixão pelo vinho que inspira nossos passeios e cujos versos estão eternizados na casa de Isla Negra

Viña Matetic

“Vino color de día, 

vino color de noche, 

vino con pies de púrpura 

o sangre de topacio, 

vino, 

estrellado hijo 

de la tierra, 

vino…”

(Oda al vino – Pablo Neruda)